cursos

Graduação Medicina

Apresentação

O Projeto Pedagógico de Curso (PPC) trata de um processo essencial não só para o coletivo da Instituição, mas especialmente para um grupo que assume a fundamentação de um determinado campo do saber ou profissão, visando promover a competência do desenvolvimento intelectual e profissional dos estudantes. Essa construção, como um todo, é compreendida numa perspectiva dinâmica, mesmo que o marco referencial permaneça constante. No seu conjunto o PPC é sempre uma manifestação de sujeitos sintonizados com os avanços da ciência e que, por isso, ousam inovar as relações pedagógicas. O objetivo principal da elaboração deste documento não está ligado apenas às exigências legais, mas à qualidade dessa discussão. O PPC somente se constituirá em referência às suas ações educativas, se os sujeitos deste campo do saber se reconhecerem nela, para referendá-la como tal.

 

De acordo com a Constituição de 1988, o Sistema Único de Saúde (SUS) passa a demandar novas estratégias de orientação para modos de cuidar, tratar e acompanhar a saúde, mudança que repercute nos modos de ensinar e de aprender. Dessa forma, programas de incentivo às Mudanças Curriculares nos Cursos de Medicina, à Estratégia de Saúde da Família, à Profissionalização dos Trabalhadores da Área da Saúde, entre outros, caminham nessa direção, enfrentando o desafio de construir estratégias mobilizadoras de recursos para o fortalecimento do SUS. A formação do médico, de acordo com as primeiras Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN’s) do Curso de Graduação em Medicina (2001) reforçadas pelas DCN’s (2014), apontaram por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício de competências e habilidades específicas, voltadas ao sistema de saúde vigente no País. Em seu parágrafo único aquelas Diretrizes destacaram:


Com base nestas competências, a formação do médico deverá contemplar o sistema de saúde vigente no país, a atenção integral da saúde num sistema regionalizado e hierarquizado, a referência e contrareferência e o trabalho em equipe.


Além disto, incorporaram as tendências antes mencionadas para a formação médica e recomendaram a formação geral e específica dos egressos, com ênfase na promoção, na prevenção, na recuperação e na reabilitação da saúde, indicando as competências comuns gerais para esse perfil de formação contemporânea, de acordo com referências nacionais e internacionais de qualidade à época

Em 2014, após 13 anos, o CNE se reuniu para aprovar novas DCN’s para o curso médico, considerando a inserção institucional flexibilidade e expectativas de desenvolvimento seguindo a tendência de um ensino voltado para o ensino de competências que se expressam por meio de ações chaves traduzido em desempenho e descritores (Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Ensino CES/CNE, datada de 06 de junho de 2014).


O Currículo do Curso de Graduação em Medicina incluirá aspectos complementares de perfil, habilidades, competências e conteúdos, de forma a considerar a inserção institucional do curso, a flexibilidade individual de estudos e os requerimentos, demandas e expectativas de desenvolvimento do setor saúde na região.


Nesta evolução para um currículo voltado para o desenvolvimento de uma formação generalista as DCN’s (2014) nos trazem maior especificidade em relação às áreas de competências da prática médica, compreendendo: Atenção, Gestão e Educação em Saúde.

Assim, este projeto do Curso de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos – Humanitas, não trata de uma perspectiva curricular isolada, mas de um projeto inspirado nas DCN’s de 2001, obedecendo aos critérios de sua evolução em 2014, que devem ser observados pelas Instituições de Ensino Superior (IES) em todo o país, buscando a formação integral e adequada do estudante para um perfil acadêmico e profissional capaz de se responsabilizar pelas necessidades de saúde da população brasileira.


Prof. Dr. Luiz Antonio Vane

Professor Emérito da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista, campus de Botucatu. Doutor em Anestesiologia pela Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, em 1982.


Pós-Doutorado no Departamento de Anestesiologia da Universidade do Texas, em Galveston, Estados Unidos, no período de 1998 a 2000, que resultou em trabalhos de pesquisa nas áreas de desenvolvimento de técnicas sobre hemorragia aguda normovolêmica, repercussão em órgãos e uso de sangue artificial.


Orientador no Programa de Pós-Graduação em Anestesiologia da FM Botucatu-UNESP.


Professor Titular de Anestesiologia desde Junho de 1994.


Exerceu os mais importante cargos na Instituição: Vice Diretor e Diretor da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP, de 1989 a 1997; Presidente do Grupo Administrativo do Campus de Botucatu- UNESP de 1990-1992; Chefe de Gabinete do Reitor da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, de 2001 a 2004; Diretor Presidente e Diretor de Convênios e Projetos da Fundação para o Desenvolvimento da UNESP - FUNDUNESP, de 2005 a 2012.


Exerceu a Presidência da Sociedade Brasileira de Anestesiologia em 2009.


Diretor Geral da Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos- Humanitas desde 2012 até a presente data.



Prof. Dr. Rinaldo Henrique Aguilar da Silva

Pós-Doutorado em Ensino em Saúde (2011) pelo Centro de Desenvolvimento do Ensino Superior em Saúde (CEDESS-UNIFESP).


Doutorado em Genética Médica pela Universidade Federal de São Carlos (1999).


Mestrado em Genética Médica pela Universidade Federal de São Carlos (1997).


Especialização em Administração Universitária e Gestão Acadêmica (2008).


Docente do Programa de Pós-graduação stricto-sensu em Ensino em Saúde da Faculdade Estadual de Medicina de Marília (Famema).


Orientador no Programa de Pós-graduação em Ensino em Saúde da Famema.


Docente do curso de Medicina e Enfermagem da Famema.


Participou como Membro Gestor da Comissão de Avaliação da Escolas Médicas (CAEM) da Associação Brasileira de Educação Médica no Projeto de Avaliação das tendências de mudanças na escolas Médicas Brasileiras.


Participou ativamente do processo de mudança curricular da Famema no desenvolvimento de um processo de ensino/aprendizagem centrado no estudante, utilizando metodologias ativas de ensino/aprendizagem, baseado em competências profissionais.


Tem experiência na área de Educação, com ênfase em avaliação e processo de ensino/aprendizagem, atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino Interprofissional em Saúde, Competências Profissionais, Avaliação, Educação.

Avenida Brigadeiro Faria Lima, 811, Putim, São José dos Campos – São Paulo

(12) 2012-6600